Sem transparência, secretariado de Galileu é omisso em prestação de contas

Apenas um de seis secretários apareceram para apresentar as ações desenvolvidas ao longo de 2018; Alto escalão nem justificou ausência

Amanda Quintiliano

Marcelo Lopes

A falta de transparência do governo municipal de Divinópolis amarga em críticas. E não é sem motivos. Das seis secretariais previstas para prestarem contas ao longo desta semana, apenas uma apareceu. Não bastassem deixar o plenário às moscas, apenas um secretário, o de Desenvolvimento Econômico, José Alonso Dias se preocupou em justificar.

Os secretários, Júlio César Campolina (fiscalização de obras públicas e planejamento), Amarildo de Sousa (saúde), Oswaldo Eustáquio de Melo (cultura) e Dimas Arnaldo de Souza Santos (Controladoria Geral), não justificaram a ausência, tão pouco tiveram o trabalho de mandar representantes.

Apenas a secretária de educação, Vera Prado compareceu.

Críticas

Como era de se esperar, a atitude nada transparente do secretariado, provocou reações entre os vereadores. O novato, Matheus Costa (PPS) classificou as ausências como “vergonhosas”.

“O que custa comparecerem aqui e esclarecer o que fizeram em 2018? Ou não fizeram nada? Quem não deve, não teme. Se eles tinham que mostrar aqui, deveriam ter comparecido”, disparou o vereador.

Janete Aparecida (PSD) cobrou coerência já que os horários foram definidos pelo próprio Executivo.

Líder do Governo

Ao PORTAL CENTRO-OESTE, Eduardo Print Júnior (SD), líder do governo na Câmara, disse que o ofício avisando sobre a ausência chegou após a reunião. O vereador lamentou e afirmou que não irá apoiar tais comportamentos.

“Terão que respeitar a lei e eu, como líder do governo não vou defender atos irresponsáveis. Que sejam responsáveis da próxima vez e compareçam nos horários certos”, exclamou.

A prestação de contas foi determinada através do artigo 70 da Lei Orgânica Municipal, pela emenda nº 026/2018, aprovada no ano passado.

Vereadores

Apesar de não passar a mão na cabeça dos secretários, o Líder do Governo também chamou a atenção dos colegas. Para as reuniões serem iniciadas é necessária a presença de pelo menos seis em plenário. Entretanto, mesmo com 17 cadeiras, nem sempre é fácil preenche-las. Em outras palavras, os próprios edis são omissos na tarefa de fiscalizar.

Prefeitura

A falta de transparência reflete diretamente a comunicação da prefeitura que se limita a respostas vagas e superficiais. Questionada pelo PORTAL sobre quais serão as justificativas, o órgão simplesmente disse que elas foram encaminhadas à presidência da Câmara.

Programação

Ainda durante esta semana, outras duas etapas serão realizadas. Nesta quarta-feira (13), estão previstas as prestações das secretarias de assistência social (Semas), agronegócios (Semag), operações e serviços urbanos (Semsur), meio ambiente e políticas de mobilidade urbana (Seplan) e de fazenda (Semfaz).

Já na sexta-feira (15), as pastas de esportes e juventude (Semej), administração, orçamento e informação (Semad), saúde (Semusa), trânsito e transportes (Settrans), cultura e de governo, estão previstas.

 

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL CENTRO-OESTE. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL CENTRO-OESTE poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.