Professores de São Gonçalo do Pará protestam na porta da prefeitura contra atrasos salariais

Protesto de professores de São Gonçalo do Pará

Servidores da rede municipal de educação entram em terceiro dia de greve; Assembleia deverá acontecer durante a tarde

Os professores da rede municipal de ensino de São Gonçalo do Pará entraram no terceiro dia de greve nesta quarta-feira (7). A categoria paralisou as atividades na última segunda-feira (5), em protesto contra o parcelamento e os atrasos nos salários. Todas as escolas da rede municipal foram afetadas pelo movimento e estão sem aulas. Nesta terça-feira (6) foram paralisadas as atividades do Cemei Abda Pena Duarte, única escola da rede pública municipal da cidade que não havia parado na segunda-feira, quando a greve foi iniciada.

Protesto de professores de São Gonçalo do Pará

Professores estão mobilizados na porta da Prefeitura – Foto: Sentram

A exemplo do que ocorreu nos dias anteriores, nesta quarta-feira os professores em greve concentraram-se em frente à prefeitura logo no início da manhã. O prefeito de São Gonçalo do Pará, Toninho André (MDB), ao chegar à prefeitura pouco antes das 8h, parou junto a alguns professores que já estavam no local. Visivelmente constrangido, ele trocou algumas palavras com a categoria, mas não sinalizou nenhum acordo. Pouco depois o prefeito se reuniu com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro-Oeste (Sintram), Luciana Santos, e com o dirigente sindical, Eduardo Parreira. No encontro, que durou pouco mais de meia hora, a presidente do Sintram exigiu que o prefeito apresente uma proposta para os professores. Essa proposta deverá ser discutida pela categoria em uma assembleia convocada para às 15h30.

Os professores seguem concentrados em frente à prefeitura, onde deverão permanecer até o início da assembleia. O teor da proposta a ser apresentada pelo Executivo ainda é desconhecido, já que a presidente do Sintram exigiu que seja elaborado um documento oficial. “Pedimos que a proposta seja feita em um documento oficial e assinada pelo prefeito para que possamos apresentar aos professores na assembleia. Se a categoria aceitar a proposta oferecida pelo prefeito, a greve pode até ser encerrada hoje. Caso a categoria não aceite, o movimento vai continuar por tempo indeterminado. A decisão é do servidor. O que a categoria decidir será atendido pelo sindicato”, explicou Luciana Santos.

Os professores de São Gonçalo do Pará estão sem receber seus salários integrais desde o início do segundo semestre. Até agora, segundo a categoria, o prefeito pagou 51% dos salários de setembro e não há expectativa de quando o restante da folha do mês será quitado. Para agravar ainda mais o quadro, a categoria não vai receber os salários de outubro no quinto dia útil, que será amanhã. “Nossa expectativa é que o prefeito apresente uma proposta digna, mas o que os professores querem é receber o restante dos salários de setembro imediatamente e que a prefeitura não continue parcelando os salários. Vamos ver o que o prefeito tem a nos apresentar e a decisão será da assembleia hoje a tarde”, finalizou Luciana Santos.

Prefeitura

O PORTAL entrou em contato com a Prefeitura, mas até a publicação da reportagem, não obteve retorno.

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL CENTRO-OESTE. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL CENTRO-OESTE poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.