Exaltada, cidadã precisa ser retirada do plenário da câmara

 

A mulher cobrava solução para moradias do Alto São Vicente; Moradores esperam há mais de 10 anos por construção de casas

 

Tensão. Essa palavra resume a reunião da Câmara de Divinópolis, desta quinta-feira (13). Uma cidadã – revoltada com o descaso do poder público – não se conteve durante os pronunciamentos dos vereadores e, aos gritos, cobrou respostas para problemas enfrentados por ela e outros moradores do bairro Alto São Vicente.

Ela estava acompanhando a reunião desde o início e sempre retrucava os vereadores. A cidadã era moradora do Alto São Vicente, local o qual ela e outros antigos residentes perderam as respectivas casas.

Tensão

Ela foi acalmada por servidores (Foto: Marcelo Lopes)

O momento de tensão maior foi durante o pronunciamento do vereador Cleitinho Azevedo (PPS). Ela continuava respondendo em voz alta e quando o parlamentar a questionou o motivo, a mesma disse que era devido a uma irritação causada por uma outra pessoa sentada a frente. Antes de terminar o que tinha a dizer, Cleitinho, interrompido, preferiu encerrar o pronunciamento.

A moradora continuou a gritar e até se desentendeu com outras pessoas presentes. Com isso, o presidente da casa, Adair Otaviano (MDB), chamou os seguranças para acalmá-la, mas ela deixou o plenário por conta própria, em tom de indignação. Após a situação, ele foi acalmada por servidores antes de ir embora.

O caso

A cidadã assim como outros moradores foram retirados das residências com a promessa de construção de novas casas por meio do PPI Favelas. Entretanto, o projeto não chegou a ser totalmente executado e o município perdeu a maior parte dos recursos. Mais de 10 anos depois, o município entrou uma brecha para conseguir construir as moradias dessas famílias.

Como lembrado por Cleitinho, no dia 22 de março os vereadores aprovaram o projeto 017/2018 autorizando a construção das unidades habitacionais na área conhecida como “Salgadão”, localizada no bairro Prolongamento São Sebastião. Entretanto, ainda trata-se de um “projeto de gaveta”.

“Há um projeto aprovado na Câmara, de um prédio que vai ser construído no Alto São Vicente e a cidadã pediu providências e a aceleração do processo para que tenha a moradia. Está no total direito de reivindicar e de cobrar e estamos aqui para dar apoio. Ela saiu exaltada e revoltada e cabe a nós, vereadores e também o prefeito, tomar vergonha na cara e resolver este problema. Quero deixar bem claro que quando isso aconteceu, eu ainda não tava na gestão, mas cabe a nós pensar no presente e no futuro para solucionar isto”, disse Cleitinho.

O PORTAL também procurou por Adair Otaviano, mas o presidente da Câmara preferiu não se pronunciar, com a

Seguranças foram chamados para tentar controlar a situação (Foto: Marcelo Lopes)

justificativa de não querer entrar em um assunto que não tem conhecimento.

Prefeitura

Procurada pelo PORTAL, a Prefeitura disse, em nota, que já repassou a documentação da empresa vencedora da licitação para a construção dos apartamentos populares. Com isso, a Caixa Econômica Federal irá analisar os documentos para dar prosseguimento ao processo.

Marcelo Lopes

Marcelo Lopes

É repórter do Portal Centro-Oeste. Graduado em jornalismo e apaixonado por esportes e histórias.

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL CENTRO-OESTE. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL CENTRO-OESTE poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.