Em jogo dramático, Guarani e Tupi empatam sem gols no Farião

Bugre teve superioridade na partida, mas parou em defesas importantes de Vilar; Equipe divinopolitana chega a quatro jogos seguidos sem fazer gols e continua sem vencer no Mineiro

O Guarani recebeu o Tupi, em Divinópolis, durante partida válida pela sexta rodada do Campeonato Mineiro, durante a tarde deste sábado (09). O confronto terminou com o empate em zero a zero, com a superioridade do Bugre no jogo, mas o ataque divinopolitano parou em defesas importantes do goleiro Vilar.

Pré jogo

Para Guarani e Tupi era vencer ou vencer, para ainda permanecer com as esperanças de uma melhor colocação na classificação. No lado do Guarani, Gian Rodrigues escalou a mesma equipe que atuou contra o Atlético, para buscar durante primeiro triunfo no estadual. A diferença foi a presença de Yuri, na lateral direita.

O Tupi, com Gerson Evaristo, o novo treinador, vinha de uma eliminação na Copa do Brasil, jogo no qual acabou sendo derrotado em Natal, para o Santa Cruz (RN). Além disso, também não havia conquistado vitórias no Mineiro, sendo a segunda pior defesa até ali, com dez gols sofridos.

Antes do jogo, um minuto de silêncio foi respeitado, em tributo às vítimas do incêndio ocorrido no CT do Flamengo, nesta sexta-feira (09). Os torcedores presentes no Farião realizaram uma salva de palmas para finalizar a homenagem. Confira no vídeo abaixo.

1º Tempo

Guarani e Tupi ficaram no zero a zero em Divinópolis – Foto: Stéfany Bôscoli/Guarani

O Guarani iniciou a partida com uma postura ofensiva, propondo jogadas no campo de ataque. O Tupi também buscou a mesma estratégia. Dentre os dez minutos iniciais, uma finalização para cada lado, mas sem perigo para os goleiros.

Aos 11, o Bugre chegava mais uma vez. Alemão ganhou a disputa pela bola e bateu na ponta esquerda, por cima do gol de Vilar.

Pela direita o Tupi buscou um cruzamento para a grande área. Baiano estava na bola, mas Yuri foi mais rápido e afastou o perigo. No mesmo lado, o Guarani deu o troco e tramou a primeira grande jogada. Em passe rasteiro para a pequena área, a bola passou do goleiro, mas a defesa do Galo Carijó conseguiu afastar.

Na primeira metade da primeira etapa, o time divinopolitano já não tinha o mesmo rendimento ao trabalhar a posse de bola. A partida passava a ter um roteiro de um confronto travado e pesado para as duas equipes.

Aos 27, o Guarani conseguiu uma falta próximo à entrada da área, do lado direito. Na bola, Ewerton Maradona arriscou e em bola alta, deu trabalho para Vilar, que desviou para o escanteio.

O Tupi, mais exausto, se portava mais no campo de defesa e minutos depois, o Guarani perdia outra grande chance. Maradona arrancou pela direita e deu passe rasteiro para a área. Douglas Santana completou, mas para fora.

Eduardo Nardini se machucou em um lance e obrigou Gerson Evaristo a realizar a primeira alteração no Tupi, colocando Saulo.

Ofensivamente, o Guarani era superior e as chances apareciam, mas sem ofensividade, tampouco a bola ir para as redes. Em cobrança de escanteio, Elder ganhou a disputa pela bola e cabeceou. Vilar, bem colocado, salvou o Tupi, em grande defesa, aos 38.

No sétimo escanteio do Bugre no jogo, Vilar teve que trabalhar mais uma vez. Em lançamento de Ewerton Maradona, Pedrinho desviou de cabeça. O goleiro do Tupi espalmou novamente e evitou o gol.

Ao fim do primeiro tempo, a torcida que apoiou o Bugre a cada minuto,  acompanhou o time na ida do vestiário, com aplausos.

2º Tempo

Antes da volta do intervalo, Gian Rodrigues acionou Charles para substituir Paulo Morais. Era a primeira alteração do Bugre no jogo, que para buscar a vitória, precisava insistir e continuar indo para cima da defesa do Tupi. Mas a primeira chance foi da equipe de Juíz de Fora.

Em cobrança de falta na entrada da área, Aislan soltou a bomba, em direção ao gol do Bugre, mas Leandro, esperto no lance, espalmou o chute. O Guarani respondeu com Charles, que após passe de Ewerton Maradona, arriscou de fora, por cima da meta.

O primeiro cartão do jogo foi aplicado, aos 04 minutos, para Baiano, que cometeu falta em Ewerton Maradona. Até ali, o Guarani continuava melhor, atacando mais e um pouco mais organizado que o Tupi, que jogava nos contra ataques. Os passes errados no ataque e as finalizações ineficientes do Bugre não agradavam a torcida, que apoiava incessantemente.

Finalizações essas que o Guarani insistia. Charles, em contra ataque, cortou para a direita e bateu por cima do gol. Yuri também tentou pela direita, mas a bola parou nas mãos de Vilar.

Vilar foi o responsável por mais um amarelo para o Tupi, por demorar para cobrar o tiro de meta.

Em mais alterações no jogo,  Hugo Ragelli entrou no lugar de Gabriel Costa, para o Tupi. Do lado do Bugre, Leomir substituiu Douglas Santana.

O grito entalado

A melhor chance do jogo foi mais uma vez do Bugre. Em mais uma jogada de velocidade, Alemão trabalhou a bola na entrada da área. O volante ganhou a disputa com a defesa e ficou frente a frente com Vilar. Na finalização, o goleiro do Tupi operou mais um milagre em Divinópolis.

Na última alteração do Tupi, Gerson Evaristo acionou Fábio Henrique no lugar de Max Carrasco. O grito de gol estava entalado na garganta dos torcedores e ele quase saiu em outra oportunidade. Pedrinho ganhou a disputa pela bola e bateu por cima da meta.

A partida era, a cada segundo, ainda mais dramática para os jogadores, comissões técnicas, torcedores e jornalistas, inclusive para quem vos escreve. O Guarani, em outras oportunidades criadas, não conseguia o gol por detalhes, que fariam muita diferença. A partida no Farião era jogada com roteiros de uma final de campeonato. Aos 39, Ewerton Maradona bateu na entrada da área e por mais uma vez Vilar fazia mais uma defesa e salvava o Tupi.

Entre tentativas e aflito, o jogo terminou sem gols em Divinópolis. Com o empate, o Guarani ainda não conheceu a vitória no campeonato e não coloca a bola na rede a quatro partidas seguidas. O Bugre permanece na nona posição, com quatro pontos somados, mas poderá cair de colocação, dependendo dos resultados de América e URT (partida que realizada neste sábado, às 21h) e de Vila Nova e Patrocinense, que ocorrerá neste domingo (10), às 16h.

O próximo compromisso do Bugre é no domingo (16), em Patrocínio, contra a Patrocinense, às 17h.

Guarani 0x0 Tupi – Campeonato Mineiro (6ª Rodada)

Guarani – Técnico: Gian Rodrigues

Leandro; Yuri, Paulão, Elder e Magalhães; Ewerton Maradona, Alemão e Renato Xavier; Paulo Morais (Charles), Pedrinho e Douglas Santana (Leomir)

Tupi – Técnico: Gerson Evaristo

Vilar; Afonso, Thiago, Aislan e Max Carrasco (Fábio Henrique); Emerson, Eduardo Nardini (Saulo) e Baiano; Romarinho, Nélio e Gabriel Costa (Hugo Ragelli)

Comissão de arbitragem

Árbitro: Ronei Cândido Alves
Assistentes: Guilherme Dias Camilo e Pedro Araújo Dias Cotta
Quarto árbitro: Frederico Augusto Pereira Costa
Observador: Adriano Gonçalves

Marcelo Lopes

Marcelo Lopes

É repórter do Portal Centro-Oeste. Graduado em jornalismo e apaixonado por esportes e histórias.

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL CENTRO-OESTE. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL CENTRO-OESTE poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.