Carrapato transmissor da febre maculosa é encontrado no Parque da Ilha

Varredura foi iniciada no local como ação preventiva; Campos de futebol também irão receber a visita de técnicos

A Prefeitura de Divinópolis iniciou, nesta quinta-feira (11), o trabalho de varredura de áreas de risco em busca do carrapato estrela, transmissor da febre maculosa. Alguns foram encontrados no Parque da Ilha onde a ação de caráter preventivo foi iniciada.

Ele será estendida nos próximos dias aos campos de futebol e áreas de incidência do animal.

“Não temos nenhum caso registrado na rede de saúde. Trata-se de um trabalho preventivo, uma vez que no período de abril a agosto tem incidência maior desse tipo de carrapato”, destacou o Secretário de Saúde, Amarildo Souza, que acompanhou de perto o início do trabalho de varredura.

Foram afixadas placas com alerta em locais estratégicos e trabalho de panfletagem.

“Nossa preocupação são as áreas onde a proliferação do carrapato é maior”, destacou.

Incidência

As amostras colhidas passarão por análise (Foto: Divulgação/PMD)

Durante a varredura, é verificada a incidência de carrapatos e, principalmente, se eles estão contaminados. Os exemplares recolhidos serão encaminhados para exames laboratoriais. Durante a ação no Parque da Ilha foram recolhidos alguns carrapatos, mas só o resultado da análise poderá indicar se esses vetores estão contaminados pela bactéria que causa a febre maculosa.

Suspeita

No caso de dúvidas ou algum tipo de suspeita ou sintoma, o cidadão deve procurar a unidade de saúde mais próxima. Como prevenção, principalmente para quem circula por áreas consideradas de risco, é importante observar alguns cuidados, entre eles, utilizar repelente em toda superfície corporal e evitar caminhar, sentar ou deitar em áreas conhecidamente infestadas por carrapatos.

Caso não seja possível, vistoriar o corpo minuciosamente, a cada 2 ou 3 horas e prestar atenção na forma jovem do carrapato (micuim), que apresenta tamanho bastante reduzido e por isso, de difícil visualização.

Caso encontre algum carrapato fixado à pele, não se deve espremê-lo com as unhas, para não se contaminar e não encostar objetos aquecidos, tais como fósforos, cigarros ou agulhas. O carrapato deve ser retirado com calma, através de leves torções, com auxílio de uma pinça.

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL CENTRO-OESTE. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL CENTRO-OESTE poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.