Última Hora

No results found.

Parlamentares querem auditar Prefeitura de Divinópolis

Amanda Quintiliano

O vereador, sargento Elton (PEN) protocolou requerimento pedindo ao presidente da Câmara de Divinópolis, Adair Otaviano (PMDB) a contratação de uma empresa para auditar e verificar os motivos que levaram o prefeito, Vladimir Azevedo (PSDB) a decretar calamidade financeira. O documento leva ainda a assinatura de outros cinco parlamentares.

Roger Viegas (PROS), Cleitinho (PPS), Zé Luís da Farmácia (PMN), Tarzan (PP) e Nego do Buriti (PEN) estão na lista dos edis que apoiaram a iniciativa. Sargento Elton disse que só não recolheu mais assinaturas porque não encontrou outros vereadores devido ao recesso. As reuniões voltam a ser realizadas no dia 02 de fevereiro.

A razão para protocolar o documento é simples: esclarecer os motivos e situações que justificaram o decreto de calamidade financeira, classificado por Sargento Elton como “grave”.

“Nosso intuito é identificar se de fato existem razões suficientes e fundamentadas para que uma medida tão extrema fosse tomada”.

Para o parlamentar, essa é uma forma de dar transparência à população, além também de possibilitar ao novo prefeito, Galileu Machado (PMDB) conhecer mais a fundo a situação econômica do município.

“O dinheiro da câmara não é nosso, o da prefeitura não é nosso, então a população tem direito e quer saber o que motivou este decreto. É uma forma de dar lisura e transparência”, afirmou.

Sargento ainda chamou a atenção para o fato de os vereadores do mandato anterior não terem sido comunicados previamente sobre o decreto e a situação do município.

“Tal medida deveria, por respeito a esta nobre Casa, ter sido analisada pelos vereadores”, ponderou.

A ideia é, com base no relatório da auditoria, verificar o que ocorreu e caso seja constatada alguma irregularidade comunicar os órgãos competentes para as medidas serem tomadas.

Mesa Diretora

O parlamentar ainda não conversou com o presidente da Câmara, Adair Otaviano (PMDB) sobre o assunto para saber se há possibilidades do Legislativo arcar com esta despesa.

Deixe seu comentário

Captcha *