Última Hora

No results found.

Medicamentos básicos faltam na farmacinha

Amanda Quintiliano

Amoxicilina, ibuprofeno, dipirona. Medicamentos básicos estão faltando na farmacinha municipal de Itapecerica. Uma das denúncias foi feita essa semana nas redes sociais. Uma moradora não conseguiu nenhum deles ao apresentar a receita médica prescrita por um médico do Sistema Único de Saúde (SUS) para a filha dela.

A cópia da receita com um desabafo foi postado no Facebook e alcançou centenas de internautas. Além de curtidas, vários outros comentários acompanharam a postagem.

“Fui na farmácia municipal hoje pegar um simples antibiótico para minha filha, só que me disseram que não tem nenhum desses remédios”, contou.

“Nunca fiquei sem pelo menos dipirona para minhas filhas. Seria necessário tantos gatos com festa? Festas são muito boas realmente, também gosto muito”, desabafou e pediu. “Administração atual, favor olhar direto para a nossa saúde porque está uma vergonha”.

Denúncias

O vereador Gleytinho do Valério já encaminhou vários ofícios para a prefeitura questionando a falta dos remédios. Porém, segundo ele, nenhum foi respondido.  Além destes básicos, outros, com o custo mais elevados, geralmente liberados a partir de determinação judicial, também não estão sendo concedidos.

A informação obtida por ele é que a prefeitura tem jogado a responsabilidade para o Governo do Estado. Ele estaria atrasando a distribuição ou simplesmente não comprando.

“Na gestão passada as pessoas iam no Fórum abriam um processo contra o município e a juíza determinava imediatamente a compra dos medicamentos de alto custo e se a prefeitura não cumprisse o dinheiro era bloqueado. Hoje, ela não manda mais comprar. Ela encaminha os processos para o Estado e ele não está fornecendo”, conta.

O atual prefeito, Wirley Reis (PHS) assumiu a prefeitura com cerca de R$1 milhão bloqueados judicialmente, referentes ao mandato passado. Apesar das determinações judiciais, parte dos medicamentos especiais também não eram comprados pela administração.

“Todo mês era desbloqueado uma boa quantia. Se a nova juíza tivesse continuado com esse método a atual administração estava perdida”, finaliza Gleytinho.

Prefeitura

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, “em relação à receita apresentada, o medicamento amoxicilina com clavulanato já foi pedido para o Governo do Estado, mas ainda não chegou. No entanto, este antibiótico pode ser substituído por outros disponíveis na farmácia. O ibuprofeno também já foi pedido, mas ainda não chegou. A dipirona está disponível na farmácia”.

Em nota, a secretaria ainda afirmou que “a farmácia da Prefeitura está bem abastecida, mas um ou outro medicamento às vezes falta, principalmente pela demora na entrega pelo Governo do Estado ou pelas empresas fornecedoras. Mas todos os medicamentos em falta já foram pedidos ao Governo do Estado ou comprados diretamente das empresas fornecedoras”.

Estado

A reportagem tentou contato com o Estado, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria.

Sobre o Colunista

Amanda

Amanda Quintiliano é editora-chefe do Portal Centro-Oeste. Jornalista por formação e paixão. Pós-graduada em Marketing e Comunicação Integrada.

Deixe seu comentário

Captcha *